quarta-feira, 18 de julho de 2007

_CHILIQUE NO ÚRRRRRRRRTIMO
E DEPOIS ELA RECLAMA QUANDO VOCÊ A CHAMA DE DONA ENCRENCA

Assim como pomba arrulha e gato mia, mulher chilica. É natural, intrínseco. Sei lá se são os hormônios ou se a culpa é toda da vaca da Eva, mas o fato é um só: você terá que lidar com chiliques femininos durante toda sua existência como humano (não sei ao certo se pombas e gatas chilicam). Por isso pense 1500 vezes antes de mandá-la pastar – é a mesma coisa que ficar possesso por um pato nadar. E isso não é uma desculpa para os ataques dignos de rottweiler com fome que as mocinhas tem quando menos se espera; é uma constatação para tornar a vida mais fácil. A sua e a nossa.
Feito o Big Bang, o faniquito transforma a matéria calma, aparentemente inerte, no maior estrondo do universo. A diferença é que nenhuma vida é criada. E a sua sempre corre perigo. Mas será que ele vem do nada? Errado! Essa balela é cosia criada por homem.
Homens são toscos demais para notar as sutilezas do nascimento de um chilique (sim, sempre há uma razão para eles). Pode Ter sido o jeito rude como você olhou o menu e não achou nada com menos de 4 mil calorias: "Você está de dieta querida e não o mundo". Pode ter sido aquela "coisinha à toa" do dia em que ela estava de cama uivando de dor nas costas, vivendo horas felizes e inesquecíveis a base de bolsa de água quente e relaxantes musculares em doses industriais e você, bocó, não desmarcou o chopinho com os amigos. E voltou a 1 da manhã, bêbado, tentando se justificar: "Mas, fofa, você estava dormindo, hic!" O faniquito pode nascer de um olhar desviado, da falta de atenção nas palavras dela, de um cílio caído na hora errada, não interessa: ela sabe muito bem (e sente muito bem) a razão daquela explosão. E é bom você ir aprendendo.
LÁGRIMAS CORTANTES
Antes de sair andando e deixar a moça sozinha a espernear, tente entender o motivo daquela cena medonha (mulheres chilicadas jamais são bonitinhas). Mesmo que você não encontre vestígio de razão para tal ataque, procure. Dê um rewind na sua memória recente e detecte meia dúzia de coisas que ela pode ter achado suficientemente más para queima-lo vivo. Afaste as facas, tesouras e qualquer objeto cortante e vá se desculpando de uma por uma, sem parar, sem tomar ar, sem dar chance de ela retrucar com gritos, cinismo ou, a pior das armas, lágrimas grossas e pesadas. Não deixe a bola cair e verá que em instantes sua sincera (uma ova, mas não importa) tentativa de redimir-se causará o apaziguamento da lama daquela mulher a sua frente. E, claro, um bálsamo para seus ouvidos. Ela ficará linda, aninhada em seus braços, ainda teimando que tem razão, mas touro lançado.
Use esse artifício uma vez, duas no máximo: todas nós merecemos uma boa e generosa dose de compreensão. Não questione isso, apenas aceite e cale a boca se não quiser começar a briga de novo. Mas se ela chilicar mais do que três ou quatro vezes num período de tempo inferior a três ou quatro TPMs, a sua princesinha está precisando não é de compreensão, é de camisa-de-força, mesmo: ninguém tem direito de ser tão chato. Nem mesmo uma mulher.

Um comentário:

Tio Murilo / Muzukawn disse...

Essa ...eu realmente concordo..e já mandei fazer uma camis de força reforçada pra minha gatinha, pois a jaula dela é muito frágil.. pra seguar ela nas suas fazes de Xilique quinzenal...